Nokia e Microsoft anunciam parceria – Minha modesta opinião

Hoje, dia 11/02/2011, a empresa Nokia emitiu vários comunicados na imprensa, entre eles o que mais chama a atenção: a empresa criou uma parceria com a Microsoft, e irá utilizar o Windows Phone 7 como sistema operacional em seus próximos celulares.

Não irei publicar os press-releases, pois entrei tarde na internet e todos os blogs de sucesso já o postaram. Irei comentar sobre minha opinião, sobre usuário que já possuiu 11 telefones da Nokia, S40, Symbian e até um tablet com Maemo. Mas publicarei a nota presente em todos os press-releases, porém que não foi publicada em todos os blogs:

NOTA
A Nokia e a Microsoft entraram em um acordo sem obrigação. A parceria planejada permanece sujeita a negociações e execuções de acordos definitivos pelos parceiros e, portanto, não há garantia de que um acordo definitivo será feito.
 
DECLARAÇÕES DE ACONTECIMENTOS FUTUROS
Deve ser notado que certas declarações aqui, que não são fatos históricos, são declarações de fatos que irão acontecer, sem limitação, incluindo: A) a intenção de formar uma parceria estratégica com a Microsoft para combinar forças complementares e experiência e formar um ecossistema global móvel, e adotar o Windows Phone como plataforma inicial de smartphones, incluindo os planos esperados e benefícios de tal parceria; B) o prazo esperado e benefícios desta parceria e estratégia, incluindo resultados operacionais e financeiros, metas, assim como liderança e mudanças na estrutura operacional; C) o prazo das entregas de nossos produtos, serviços e suas combinações; D) nossa habilidade para desenvolver, implementar e comercializar novas tecnologias, produtos e serviços e suas combinações; E) expectativas quanto a desenvolvimentos de mercado e mudanças estruturais; F) expectativas e metas sobre volume de indústria,  market share, preços, vendas líquidas e margens de produtos e serviços; G) expectativas e metas sobre prioridades operacionais e resultados de operações; H) a resolução de litígios pendentes e iminentes; I) expectativas sobre a aquisição completa em prazos estipulados e nossa habilidade de atingir metas operacionais e financeiras, em conexão com a aquisição e reestruturação; J) declarações precedidas por “acredito”, “espero”, “antecipo”, “prevejo”, “metas”, “estimativas”, “desenhado”, “planos”, “irá” ou expressões similares. Estas declarações são baseadas nas crenças das diretorias frente às informações atualmente disponíveis. Como há riscos envolvidos e incertezas, os resultados reais podem diferir dos resultados esperados. Fatores que podem causar essas diferenças incluem, mas nao se limitam a isso: 1) se um acordo definitivo pode ser feito com a Microsoft para a parceria em potencial dentro de um tempo esperado, de forma benéfica para nós; 2) nossa habilidade de continuar inovando e mantendo nossa plataforma de aparelhos baseados em Symbian durante a negociação com a Microsoft e após isso; 3) a negociação e implementação da parceria com a Microsoft irá requerer um tempo significativo, atenção e recursos de nossa gerência senior, e outros, dentro das expectativas de nossos negócios; 4) ao escolher negociar uma parceria com a Microsoft e utilizar o Windows Phone como nossa plataforma de smartphones inicial, podemos esperar alternativas mais competitivas, alcançando mais aceitação e lucro dentro do mercado de smartphones; 5) A plataforma dos smartphones Microsoft Windows Phone pode não ser preferida por desenvolvedores, parceiros de conteúdo e outros parceiros, incapacitando nossa habilidade de oferecer um ecossistema suficientemente bom para nossos smartphones; 6) a parceria com a Microsoft pode não atingir o nível de produção de smartphones, que são diferenciados dos nossos competidores e preferidos por nossos clientes e consumidores durante um prazo estabelecido, ou de forma definitiva; 7) nossa habilidade de mudar o modelo de negócios, a maneira de trabalhar e cultura para trabalhar com a Microsoft para alcançar os benefícios declarados em prazo determinado, ou de forma definitiva; 8) nossa habilidade de criar, de forma efetiva e diluída, nossa nova liderança em estrutura operacional e em alcançar os benefícios em um tempo esperado; 9) a implementação da parceria com a Microsoft e a nova estrutura operacional podem causar insatisfação ou entre funcionários, potencialmente reduzindo o foco em produtividade am algumas, ou em todas áreas de nossos negócios; assim como os fatores de risco especificados nas páginas 11-32 do relatório anual da Nokia para o ano encerrado em 31 de dezembro de 2009, no item 3D.”Fatores de risco”. Outros fatores desconhecidos ou imprevisíveis, ou entendimentos incorretos, ou que se provem incorretos, podem causar resultados que sejam diferentes dos anunciados nas declarações com base no futuro. A Nokia não se compromete com quaisquer obrigações de publicamente atualizar ou revisar essas declarações, sejam elas resultados de novas informações, eventos futuros ou outro fator, exceto ao que é legalmente exigido”

Acredito que a empresa demorou anos para encontrar uma estratégia para combater o iPhone: O último aparelho flagship a ter completo domínio da crítica foi o N95. Após ele, erro após erro: o N96 foi praticamente “mais do mesmo”, o N97 com milhares de defeitos, o N900 foi um aparelho de nicho, e o N8 foi abandonado rapidamente, embora o sistema Symbian^3 desse sinais que estava preparado para decolar.

Nos últimos anos, os melhores aparelhos da Nokia, em relação à crítica, foram o 5800, por ser um aparelho touch, com vários recursos e barato; e o E71 e seu irmão E72, que alinharam a gama de aplicativos do Symbian, com um teclado QWERTY maravilhoso e uma ótima autonomia de bateria.

Não concordo com o abandono do Symbian: ele seria ótimo para early-entries. Imagina poder comprar um celular pé de boi, para backup, e ele ter o Symbian? Seriam smartphones populares; porém, segundo a timeline divulgada pela Nokia, o plano é abandonar completamente o Symbian em meados de 2012. 

E o Meego? Bem, com a experiência adquirida no N800, imaginava que, mais cedo ou mais tarde, a Nokia faria novamente isto: abandonar todos os consumidores que compraram o aparelho, deixando-o sem atualizações e perspectiva, e pularia para outro sistema. Agora, pela Nokia, o Meego simplesmente é uma base de testes, ou, em outras palavras, continuará sendo um “aparelho para geeks”.

E, porque não o Android? Porque a Google não garantiria nenhuma vantagem para a Nokia, ao contrário da Microsoft. Indo para o Windows Phone 7, a Nokia garantiu, através do acordo, ter vantagens em relação aos outros fabricantes.

E daqui para a frente? Não sei, minha bola de cristal não está mais funcionando 😉 , mas podemos imaginar algumas coisas:

  • O acordo Nokia-Microsoft empurra a HTC ainda mais para os braços do Android: sinal dos tempos. No passado, a Nokia liderava com seus smarts utilizando Symbian e a HTC com o seus Windows Mobile. Agora, a Nokia vai para os braços da Microsoft, e a HTC, que já tinha uma gama muito maior de aparelhos utilizando Android, deve se dedicar ainda mais a este sistema operacional. Esta empresa é a que mais incentiva o desenvolvimento pela comunidade (XDA Developers) e o Windows Phone 7 é muito fechado, o que deve afastar a empresa ainda mais do Windows.
  • A LG perde. Tratada como parceira prioritária do WP7, foi passada para trás pela Nokia. Novamente, será somente uma companhia a mais utilizando o sistema operacional.
  • A Nokia ganha e perde. Perde, e muito, na imagem. Os fanboys da Nokia, defenderam, por muitos anos, o Symbian. E agora, irão defender justamente um dos seus mais odiados inimigos, o Windows Mobile (na forma de Windows Phone). Porém, existe sempre o outro lado: os aparelhos da Nokia ganham o Office da Microsoft, a integração com o Outlook e, principalmente, a Live. Pode parecer besteira, mas jogos bons podem impulsionar uma plataforma, bem como uma boa plataforma de comunicação (estão aí os Motorola Q11 sendo vendidos, e vendendo bem, até hoje no Brasil, simplesmente pela seu MSN nativo) podem mudar o jogo.

Mas eu não acredito. Sinceramente, vejo esta parceria como o final da era do domínio da Nokia, e a vitória triunfal do iPhone, que forçou todos os seus concorrentes a se adaptarem para continuarem no jogo. Os Blackberries com tela touchscreen novos que o digam!

Anúncios

2 comentários sobre “Nokia e Microsoft anunciam parceria – Minha modesta opinião

  1. Nova era nos celulares é como comprar um Ford com motor GM uahuaha acho que ambas ganham, mas quem mais ganha é o Apple que mostrou que inovação pode fazer com que duas rivais eternas virem “amigas” rs. To mais que feliz com meu android e com meu iPod touch

  2. Certamente é cedo ainda pra fazer suposições. Mas acredito que essa parceria dará certo sim. Talvez seja otimismo demais. O WP7 aparenta ser simples e intuitivo, e ao menos na parte de hardware a nokia sabe o que faz. A vantagem da parceria sobre o android é a não fragmentação, e sobre o iOs a liberdade. Novamente, posso estar sendo otimista de mais, mas acredito nisso. : D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s