A evolução de um gadget – Minha história com um iPod Touch 2g

Nota: eu sei que o blog anda morimbundo, e isto acontece por uma combinação de diversos fatores: Faculdade, vida pessoal, problemas de visão (fico com uma dor de cabeça terrível ao usar micro!) entre outros que não convém serem postados. Por isto, esta ausência gigante.

Todos temos nossos aparelhos preferidos. Podemos ter, com ele, uma ligação sentimental, ou realmente gostamos do mesmo por causa de sua usabilidade. Por isto, sempre tendemos a dar preferência para o mesmo, o defender, algumas vezes, inclusive, de críticas indefensáveis.

E o meu aparelho preferido é o N800 😉 . E só por essa razão, eu continuo a usar ele em vez do iPod.

Mas vou falar aqui do iPod. Já são um ano e um mês com o aparelho, e eu irei compartilhar a minha experiência, e a evolução do aparelho durante todo este tempo.

Comprei o iPod uma semana após comprar o N800. Foi uma surpresa: fui comprar um cartão de 8GB para o N800 cheirando a novo, quando o dono da loja me oferece o Touch, dado de presente pelo seu filho que havia chegado do Canadá; como ele achava o aparelho muito complicado, acabou me oferecendo e eu não resisti. Claro, entre o N800 e o iPod, um dos dois, ou talvez os dois ficariam extremamente subutilizados, porém eu não resisti. Comprei.

No início, o que me surpreendeu positivamente foram a qualidade do áudio, mesmo com os fones padrão (que são ótimos, talvez os melhores fones que vieram junto com um aparelho que eu comprei), a tela (capacitiva é show!), e a facilidade de se instalar programas. De pontos negativos, a dependência do iTunes para fazer tudo, a falta de uma suíte Office (e, por causa disto, eu considerava o N800 muito melhor para o uso como um pequeno notebook de bolso), a falta de multitarefa, e a impossibilidade de se ler PDF´s grandes.

Good Reader - O melhor programa para a visualização de arquivos Office e PDF do iPod
GoodReader - O melhor programa para a visualização de arquivos PDF e Office

Durante o ano, tudo mudou. O meu primeiro programa para leitura de PDF´s, o Felaur PDF, ajudava, mas travava com a leitura de arquivos realmente grandes. Até que eu conheci o programa GoodReader. Existem relatos de arquivos de até 1 giga abertos sem problemas! Sem contar com os add-ons pagos: ele pode se conectar com servidores de mail IMAP ou POP 3, e, inclusive, com o Google Docs. Abre as extensões mais comuns de arquivos Office, além dos PDF´s e TXT´s. Pronto, encontrei meu leitor de arquivos.

E editor de arquivos ? Temos o Quick Office e o DocsToGo portados. Comprei os dois, mas minha preferência é pelo DocsToGo. Recentemente, foi disponibilizada uma atualização paga deste último, que permite a edição de apresentações estilo Power Point, além dos tradicionais editor de planilha e textos. Pronto, tenho um super editor Office, belamente adaptado para o mundo mobile, no meu iPod. Porém, uma reclamação: os arquivos presentes no sistema deveriam ser intercambiáveis. Não faz sentido você editar um documento no DocsToGo, e depois não poder visualizar o mesmo no GoodReader. Acredito que a Apple deveria liberar uma API que contivesse todos os documentos presentes no aparelho e os liberasse em todos os aplicativos. Um documento presente no Docs ou no GoodReader não aparece no Spotlight, por exemplo. Este é um ponto sério a se desenvolver para o OS 4.0 ! Outra falha, esta específica do DocsToGo, é que não dá para inserir figuras nos arquivos (bem, pelo menos eu não consegui fazer isto até hoje!). Mas para adiantar todo o trabalho dos relatórios da faculdade, ele é extremamente eficiente: chego em casa com os textos prontos, e só adiciono imagens, e todo o trabalho é completo.

DocsToGo – Edição de arquivos Office

A parte da multitarefa foi conquistada através do Cydia, e de seus programas Backgrounder (a verdadeira multitarefa) e o Kirikae (interface para o Backgrounder). Existe outra interface para o primeiro, com um visual moderno e transição de janelas inspiradas no WebOS, da Palm. Porém, este é pago, e eu não considero necessário um app que só irá deixar mais bonito (fresco) algo que eu já faço muito bem com um app gratuito.

A parte ruim desta solução é que comprometeu o desempenho da bateria. Entre todos os problemas do iPod, um dos que eu acho mais crítico é justamente o desempenho desta. Somando-se a impossibilidade da troca, é algo que poderia até ser um “showstopper” em se tratando de uma compra para uso como computador de bolso. Realmente, é tão baixa que eu já pensei em comprar um iPhone só para utilizar como iPod!
Enfim, dos três defeitos graves, em minha opinião, dois foram solucionados. O terceiro até poderia ser (a dependência do iTunes), já que é fácil acessar o iPod através de uma conexão SSH. Porém, prefiro transferir arquivos de música pelo iTunes mesmo, e arquivos diversos pelas próprias interfaces dos clientes desktop dos softs que uso. Conheço gente que usa o Quickoffice pirata, e utiliza o SSH para a transferência de arquivos. Como o meu é original, não preciso utilizar desta artimanha. Só usei SSH para testes, e para jogar roms de emuladores. Como não utilizo mais emuladores, praticamente não utilizo mais o SSH.
E o iPod acabou revelando uma grata surpresa: a qualidade dos games. Para usufruir disto, ou temos que ter uma conta na appstore americana, ou utilizar softs piratas. E jogos dele têm uma qualidade sensacional. Need for Speed é um jogo muito bonito, graficamente, e a jogabilidade não é nem um pouco prejudicada pelo controle do acelerômetro (aliás, é o melhor jogo de corrida em relação à dirigibilidade!). Um jogo que me surpreendeu é o Street Fighter IV: embora não chegue nem perto das versões de Xbox360 ou PC, a jogabilidade é muito boa, as animações surpreendem no portátil (embora com vários frames faltando, algo que chega a irritar na comemoração das vitórias, porém não durante o jogo) e a dificuldade, a partir do Hard, é insana. Só faltou o Sagat, meu personagem preferido, e outros clássicos (Zangief, E.Honda e o Vega) que o jogo estaria nota mil.
Enfim, o iPod (e o iPhone OS em geral) evoluiu muito, e a quantidade de programas disponíveis é incrível. A facilidade de instalação é algo surpreendente, e agrada a qualquer pessoa. Eu poderia ter uma cópia de cada programa que tenho no iPod no meu celular Symbian, por exemplo. Mas a facilidade de se encontrar os mesmos em uma loja como a iTunes Store sempre pende a balança para o iPod. E recomendo a compra de um, para pessoas que desejam algo “menor que um netbook” como um PC portátil. Ele é tudo isto.
Anúncios

2 comentários sobre “A evolução de um gadget – Minha história com um iPod Touch 2g

  1. cara, eu estou em duvida em comprar um ipod touch ou guardar mais um pouco pra comprar um iphone, a unica diferença q eu vejo é somente a função telefone… este post clareou bastante isso pra mim… muito bom!!
    abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s