Acontecimentos de uma mente saturada – O primeiro FPS da geração atual a gente nunca esquece!

Nota: Como já disse no tópico anterior, estou tirando umas férias. Estou descansando a mente para voltar com gás total em 2010! Mas alguns acontecimentos não podem passar em branco.

Meio de janeiro. Início das minhas férias online (decidi passar um mês um pouco desconectado! Longe do blog, twitter, e informação em geral – a cabeça precisa de descanso!), 15 dias para as minhas férias do trabalho (começam dia 9) e pouco tempo para começar as aulas. Chego em casa do trabalho, e minha mãe dá a notícia: – Mauro, é o terceiro dia que o micro não liga direito. Dá um jeito nisso, por favor! Vai começar o BBB e eu não quero ficar sem micro para acessar o site. -Tá bom mãe, vou dar uma olhada.

Bem, nos dias anteriores, era entrar no modo seguro, e reiniciar, que o micro voltava a funcionar. Neste dia, porém, bad luck: o bichinho não funcionava. Nem modo de segurança mais. Pensei em reinstalar o Windows, mas, é chato fazer isto sem um micro funcional para fazer backup das coisas ! (bem, eu tenho tudo da faculdade em mídias, a músicas em um HD externo. Mas a pasta Meus Documentos sempre têm algo importante, e eu não tinha backup dela). E eu sabia, bem, meu PC era um Sempron 2.8+, datadíssimo. Bem, chegou a hora – comprar um PC novo.

Passados os 5 segundos de frustração, por causa do dinheiro, que iria para a compra de vários outros gadgets – Um Xbox 360 estava no topo da wishlist – fui à minha loja preferida. Comprar pela internet é bom e econômico, mas, ir em sua loja preferida, onde você têm atendimento especial e pode confiar neles para qualquer coisa – além de render uma boa conversa com todos os funcionários – faz valer a pena pagar um preço um pouco maior. Geek e engenheiro como sou, com uma pitadinha de ansioso, comprei todas as peças para montar o micro em casa. Um processador E5300 (Dual Core, não pretendia rodar nada extremamente pesado), 4 GB de Ram (para abrir o Autocad sem dor de cabeça), HD de 500GB (downloads, me esperem!) e uma Geforce 8400 com 512MB de Ram, além de um gabinete dos baratos saíram comigo da loja. Duas horas depois, um suadouro danado (primeiro para colocar o cooler – no meu tempo era mais fácil! – e depois por esquecer de passar a fonte para 110V) o micro estava funcionando, e eu instalando o sistema Windows 7 de 64bits.

A partir daí, fui descobrir o sistema, jogos, etc. Descubro que o micro não rodaria Street Fighter 4 – trac trac trac turugen! – muito bem. Uma análise no desempenho do sistema me diz que o pior índice é a performance do ambiente gráfico Aero – hora de comprar uma placa de vídeo melhor! Comprei uma 9600GT, e tenho uma 8400 parada aqui, esperando o seu destino – vai servir pro meu fliperama que irei montar no fim do ano! O desempenho do sistema, agora, é de 5.9, limitado pela velocidade do HD. Muito bom, sem gargalos, fazemos a pergunta clássica para o guri viciado em games mais próximo que você conhece: Qual é o game mais fera destes atuais?

Bem, a resposta do rapaz é: Call of Duty Modern Warfare 2. Hum … Uma pesquisinha básica pela internet, e vejo a imagem do jogo:

O barato vai pro Rio de Janeiro, que doido!

Juro que, quando vi o Cristo Redentor lá, pirei. Lembrei na hora das tardes jogando CS com minha namorada (agora ex, uma pena, nunca abandone uma namorada que curte games, você corre o risco de nunca encontrar outra assim!), jogando o mapa CS_Rio, tomando um headshot dela na lan, o pessoal zuando e tudo o mais, e você quase pegando ela pelo pescoço 😉 . Mas tudo bem, depois era jogar Top Gear no Snes – dela, diga-se de passagem – que tudo se acertava.

Bem, o fato é que eu decidi que este era o jogo que eu compraria. Fui na loja de games, comprei – 3 DVD´s, caraca! – e instalei. Babei, lógico. O jogo é insano. Os gráficos são ótimos, a jogabilidade é muito boa, você vai aprendendo a jogar conforme avança, a história é excelente. Etc e etc. Adorei o jogo, e poderia ficar falando horas e horas sobre. Mesmo assim, depois de 8 horas jogando para zerar o modo Campanha (extremamente bem feito, parabéns para a Infinity Ward!), mais outras horas de jogo, e veio a constatação: Não superou um jogo deste gênero em diversão, pelo menos para mim.

E qual o jogo ? Pasmem : Wolfenstein 3D.

É. Aquele que o comando, para entrar no game, era Wolf3d. Que você apertava MIL durante o jogo para ficar com todas as armas, chaves e tal. Que tinha aquela metrancona giratória muito louca. Que eu nem imaginava o que era Strafe, e usava as setas do teclado para movimentação, não tinha botão de pulo, não usava o mouse para jogar (eu não usava, jogava no teclado mesmo)e, mesmo assim, zerei todas as missões, pegando todos os itens e tal. Sim, eu era viciado no jogo. Eu lembro que, quando fui promovido no trabalho, o pessoal tinha um laptop, para mexer com os PLC´s, IHM´s e, claro, para jogar joguinhos na hora do almoço. Foi a primeira vez que joguei Wolf em tela colorida (o meu monitor era mono). Quando vi o pessoal se gabando com os recordes, e que eu nunca ia bater, ri por dentro 😉 . Uma semana depois, e todos os recordes possíveis do jogo estavam com as iniciais MAU. Ah, como eu era mau ! MUHAUHAUAHUAHUW !

Wolf 3D. O meu FPS preferido, acima de Doom!

Meu, o que você vai falar de um jogo em que você mata o Hitler? De um jogo em que você se sente o fodão com uma metranca giratória, aí vai dar de cara com um brutamontes segurando DUAS? Um jogo que você jogou em uma época que chat online se resumia a falar com o sysop da BBS de sua cidade, e com um ou dois gatos pingados (quando a BBS comprou 4 linhas).

Meu, eu era apaixonado por este jogo. Minha primeira versão foi a shareware. O jogo tinha 6 missões, e esta versão só tinha a primeira liberada. Joguei ela, zerei, zerei procurando todos os itens secretos, zerei achando os itens secretos … debulhei o jogo. Até que meu vizinho chega com um CD cheio de sharewares de FPS. Tinha Blake Stone, Corridor 7, entre outros que não me lembro. Joguei, mas nenhum superava o vício do Wolf. Até que …

… Eu consigo o jogo completo!

Este dia foi o segundo dia mais feliz da minha vida de gamer de PC (o primeiro foi quando eu rodei o World Circuit pela primeira vez!). Além da missão que eu já havia vencido, haveriam 5 novas. E eu joguei, zerei, joguei mais, zerei mais. Joguei o Spear of Destiny também, joguei Doom, Descent (jogasso), um pouquinho de nada de Quake, muito, mas muito Half Life e Counter Strike, e agora o Call of Duty. Mas …

… Aqui dentro, serei sempre um matador de nazistas usando uma metranca giratória. Nada supera o Wolf3d na minha mente retrogamer!

Anúncios

4 comentários sobre “Acontecimentos de uma mente saturada – O primeiro FPS da geração atual a gente nunca esquece!

  1. Estava eu aqui dando uma olhada nos meus favoritos, e achei o seu blog aqui sobre uma materia sobre a história das Hps, bom resolvi ver o que vc estava postando atualmente e dou de cara com Wolf3D, você não vai acreditar mas eu estou jogando Wolf3d durante as minhas férias em casa, ha ha ha, Wolf3D me lembra muitas alegrias, meu primeiro game no PC, como vc disse, nada supera Wolf3D

  2. E ai Maurão!!!
    Já ta preparado pra aguentar o Alcindo…rsrs
    Fais muito tempo q não escuto ninguem falar do Wolf3D. Joquei muuuuuuuuito esse jogo…achei q ninguem mais lembrava dele…esse post me fez lembrar muitas coisas e nem tenho mais esse jogo, mais vo ver se consigo baixar ele de novo…rsrs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s