Grátis – O Futuro dos Preços, de Chris Anderson

Retirado de : http://www.tiagodoria.ig.com.br/wp-content/uploads/2009/09/free.jpg

Em setembro, o Rodrigo Toledo fêz um post sobre o livro Grátis, de Chris Anderson. Em seu post, ele cita o blog do Tiago Dória, que fêz um review (exclente por sinal!) do livro. No mesmo mês eu comprei o livro, mas somente agora tenho tempo para ler. E iniciei a leitura.

Chris Anderson é editor da revista Wired, e é autor de outro livro de sucesso, livro de nome A Cauda Longa. Como não li este livro, não posso falar muito sobre. As resenhas dos sites de venda dizem que, neste livro, o autor faz um ensaio sobre negócios do século XXI, mostrando que, graças ao advento da Internet, negócios de nicho são, hoje, tão lucrativos como produtos populares que vendem muito. Interessante e, com certeza ainda lerei este livro.

Voltando ao Grátis: O livro contém 16 capítulos, estes divididos em 3 tópicos, mais uma introdução: O que é Grátis, o Grátis Digital e A Economia do Grátis e o Mundo Grátis. Neste exato momento, acabo de terminar a leitura do primeiro tópico, o que é Grátis, e estou impressionado com a qualidade de seu conteúdo!

Imaginei que o autor trataria de sites que disponibilizam o conteúdo gratuitamente, ferramentas em geral, etc. Podemos citar o Google Docs, Flickr, Picasa, enfim, todas as ferramentas gratuitas disponibilizadas pela Web 2.0 e que eu e os frequentadores deste, e dos sites de tecnologia em geral, estamos mais que acostumados. Mas não, o autor fêz uma varredura muito abrangente, mostrando aos leitores o começo do modelo Grátis nos negócios, os quatro modelos principais de Grátis (sim, existem quatro modelos principais, e uma infinidade de modelos secundários!), e, também, toda a psicologia envolta por trás do Grátis.

Existe toda uma noção de valor em toda e qualquer transação existente; logo, ao retirarmos o valor, toda a noção que estamos habituados, deixa de existir. A internet amplificou esta noção: hoje, diversos bens, itens, softwares e até hardwares são disponibilizados gratuitamente. Mas, sim, alguém está pagando por isto.

Durante a leitura, eu acabei por pensar em relação ao grátis e minha vida. Um dos tipos de Grátis são as versões Freemium, que são onde os usuários pagos dos serviços pagam por todos os usuários gratuitos, pois o custo para manter o site é tão baixo, próximo a zero, e as margens de lucro são mantidas pelas mensalidades dos usuários Premium e por anunciantes. Flickr e Evernote são dois serviços que utilizam este modelo. Outro tipo de modelo são os adotados por livros e revistas: hoje, muitas revistas disponibilizam seu conteúdo inteiramente digital. Mesmo assim, muitas pessoas pagam por assinaturas, onde ganham as mesmas por valores mais baixos que os de produção, mas todo esse investimento é pago pelos anunciantes. As revistas de bancas de jornal, são utilizadas para o comprador têr uma amostra em suas mãos, algo que a experiência digital não replica. Ao contrário do que possa parecer, a venda em bancas de jornal não é o maior filão de lucro de uma revista: a maioria delas (revistas masculinas são exceção) têm seus lucros graças aos anunciantes, e seus maiores prejuízos nas revistas vendidas em banca, porque a maioria deste estoque volta e têm que ser reciclado.

Bem, e o modelo para livros técnicos ?

Este modelo é, ao meu ver, onde a psicologia do grátis acaba não se aplicando. Com o advento da internet, temos acesso a muita informação, algo inimaginável a 20 ou 30 anos atrás. Hoje, temos livros disponíveis em licenças como Creative Commons, que podem ser utilizados gratuitamente por quem os baixar (e eu não estou falando de pirataria!). Mesmo assim, a grande maioria dos técnicos, engenheiros, etc. preferem ter a sua cópia impressa em sua biblioteca física. O custo de impressão de um livro baixado na internet seria muito menor que a compra de um novo livro, por não estarem embutidos preços de transporte, royalites, licença, etc. Mesmo assim, acredito que seja difícil este modelo de negócios emplacar no mundo dos livros técnicos.

Algo que o grátis nunca vai causar é aquela sensação de conquista. Um estudante de eletrônica irá gastar mais de 100 reais para ter seu exemplar do Sedra; ele pode baixar este livro gratuitamente, através de sites piratas, ou também encontrar boa parte do seu conteúdo em outros livros, disponibilizados gratuitamente. Existem alguns sites de eletrônica excelentes! Mesmo assim, nenhum destes recursos irá substituir a sensação de conquista, por ter batalhado tanto para obter o seu bem. Isto, a sensação do Grátis nunca irá extinguir.

Enfim, recomendo a todos a leitura deste livro. Conforme eu for avançando na leitura, colocarei outros pontos interessantes aqui.

Um ótimo domingo a todos!

Anúncios

Um comentário sobre “Grátis – O Futuro dos Preços, de Chris Anderson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s