Dingoo – Duas semanas de uso

Duas semanas de uso intensivo, e já tenho uma boa opinião sobre o Dingoo.

Bem, um pouco de informação: neste gadget, temos duas opções distintas de sistemas operacionais. No firmware original, temos alguns emuladores, alguns jogos nativos, tocador de música, vídeo, rádio FM, leitor de TXT, e o TV-Out. Com um pequeno hack, instalamos um dualboot, que boota um sistema Linux adaptado para ele (o Dingux), que possui ótimos emuladores de sistemas 16-bits (os famosíssimos Mega Drive e Super Nintendo), alguns jogos do Linux que foram portados (inclusive o maravilhoso UrQuan Masters), e engines para jogos como Doom e Duke Nukem 3D (aliás, existe a limitação dos botões mas … Duke na tela do Dingoo fica excelente!).

No momento da compra, eu já conhecia todas as possibilidades. Porém, o boom de emuladores lançados para os dois sistemas (tanto o firmware original quanto o Dingux) e jogos foi assustador. Existem duas comunidades ativas: a americana e a francesa. Enquanto a parte americana se concentra nos fóruns já conhecidos de homebrew (DCEmu, Gp2X Forum, e o A320 Fórum, especializado no Dingoo), a cena francesa, liderada pelo coder de nick Alexmaul, cria emuladores para o sistema nativo.

Bem, e a minha opinião? Eu comprei sabendo exatamente o que viria: um sistema que emula alguns sistemas com perfeição, e outros nem tanto. Meu intuito número 1, era jogar Final Fight em um portátil. Bem, este jogo em especial fica um pouco lento! Jogável, mas mais lento que o original. Mas de beat´n´ups de CPS-1 (beat´n´up é aquele tipo de jogo que saímos batendo em tudo e em todos, 1 ou dois jogadores em modo cooperativo), o Cadillacs and Dinossaurs, o The Punisher e o Captain Commando estão 100% jogáveis. Mas dá pra jogar Final Fight no emulador do GBA; este sendo o melhor emulador do sistema! 90% dos jogos de GBA rodam sem problemas, e, este sendo um sistema relativamente novo E portátil, posso dizer que os melhores jogos estão aqui.

O firmware original também emula muito bem Neo Geo, e é muito bom jogar Metal Slug em qualquer lugar. King Of Fighters roda muito bem, mas eu nunca fui um bom jogador com direcional em cruz! Quem sabe se eu adaptar um direcional nele 😉

Jogos de luta da Capcom, tanto CPS-1 e 2 ficam lentos. Jogos de nave da CPS-1 ficam bons, já da CPS-2 ficam lentos (uma pena, pois ver a tela cheia de tiros do Mars Matrix com a resolução dele é algo muito belo graficamente!). O emulador de Mega Drive quanto o do SNes eu não recomendo. Só para o jogo de RPG´s. O emulador do Nintendinho é muito bom (mas NÃO RODA BATTLETOADS bem!!!) e o último do Master System, feito pelo AlexMaul, roda muito bem e o som, digamos, 80% (têm uns chiados).

Os jogos que vieram com o aparelho, eu mal testei. Existe um em destaque, chamado 7 Days Salvation, conhecido do Symbian. É um survival horror, que bebe na fonte de Alone in the Dark e Resident Evil. É o melhor jogo em questão.

Já para o Dingux, bem … Mega Drive perfeito, Snes praticamente perfeito (só não emula os jogos com chips especiais, embora estes sejam os preferidos da galera, é compreensível), jogos do MAME (os antigos, mas jogar Vendetta nele é INCRÍVEL!), Doom, Duke Nukem 3D, e UrQuan Masters … (irei fazer um vídeo desse jogo, para quem é viciado em RPG e temas espaciais, este é o jogo!) … bem, para quem gosta deste tipo de jogo, compre! O custo benefício é infinitamente melhor que o PSP.

Para quem quer uma central de entretenimento, embora ele rode vídeos sem necessitar de conversão, tenha TV-Out e rode RMVB, acredito que um PSP seja ainda melhor. Não que ele não seja bom, mas, assistir filmes em uma tela de 2.8′ não é a melhor opção do mundo. Mas o fato de poder baixar filmes e assistir na TV com um aparelho do tamanho dele até pode compensar.

Por ultimo, a autonomia: comigo dura entre 5 e 6 horas. O Dingux gasta mais bateria, por funcionar no cartão. Relatos na internet que, com brilho do display no mínimo e emuladores sem som, dá pra se jogar 12 horas. Mas, cá pra nós, jogar dessa maneira nem vale muito a pena 😉

Enfim, meu veredito: se você concorda com as limitações, quer um dispositivo barato e é fã de 8/16 bits, compre sem pestanejar!

Nota: o amigo Alessandro, do N Possibilidades, acaba de ganhar mais um membro na família, um pimpolho que irá desde cedo ser um gadgeteiro assim como nós 😉 . Alessandro, parabéns! Este é o momento que define a vida de um homem, espero que seu filho cresça com saúde e seja uma pessoa diferenciada, assim como você. Felicidades!

Anúncios

5 comentários sobre “Dingoo – Duas semanas de uso

  1. Belo review Mauro. Estou quase convencido a comprar um enquanto estou ainda aqui no Canadá, e assim me livrar do imposto da RF no Brasil. Mas ainda não sei se o PSP não seria uma opção melhor.

  2. Fabricio, se for pra emulação, acho que o custoxbenefício do Dingoo é bem melhor. Mas, senão, o PSP ganha. Ele tem PSX e os jogos nativos, o que já é uma grande vantagem em relação ao Dingoo. E como tem mais botões e o analógico, jogar FPS como o Duke Nukem 3D deve ser uma experiência melhor.
    Anyway, estou muito contente com o Dingoo, mesmo tendo vontade de ainda ter um PSP um dia.

    E boa sorte aí no Canadá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s